Translate

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Farewell.


- Algum dia eu já disse por aqui, que ODEIO despedidas?
Por mais que seja por um espaço de tempo curto, despedida é sempre despedida.
Posso comparar as despedidas com os dias chuvosos, com as noites sem luar...
Quando me acontece tal coisa, me sinto como se tivesse perdido algo que nunca tive, mas que um dia quis muito ter. E isso me doe profundamente, me arrebata a alma, traz a tona toda tristeza que existe em meu se; neste momento as lágrimas afloram ao som de uma musica fúnebre que vem não sei de onde nem porque.
Parece que ainda restam algumas lacunas, alguns hiatos de vontades não realizadas.
Espero que você guarde todos os nossos momentos felizes, todos os sorrisos e declarações; guarde também nossos desejos incontroláveis, nossas juras secretas e principalmente todo amor que trocamos( que por sinal sempre foi lindo).
Não tente entender o porque de tudo isso acontecer, existem coisas que  nem o amor e a razão conseguem explicar.
Sei que em breve você voltara, (dentro em breve diga-se de passagem) mas ate lá a saudade vai consumir, por isso afirmo que a saudade que vou sentir, será maior que os Quilômetros que nos separa. Creio que, em algum momento chegará o dia em que não precisaremos mais dessas malditas despedidas que nos consome aos poucos.
Apesar dos pesares, de certa forma nosso sentimento não morreu ( e nunca morrerá), e isso me da a certeza que seremos para sempre um so corpo e uma só alma. 




PS:Um dia te levo comigo e de saudades suas eu não choro mais, quem tem amor assim distante não tem o bastante pra sobreviver, pra todo mal da minha vida, pra curar qualquer ferida meu remédio é você! ( Jorge&Mateus) 

2 comentários:

LUCIMARA DOMICIANO disse...

"Vou escrever saudade no tijolo. E jogar na sua cabeça. Pra você ver como dói. Como dói."

Te adoro e sinto falta das nossas conversas!

- disse...

Amigaa, teamooo muiito e sinto muiita sua faltaa! beeijoo